Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Que Amor É Este

"without music life would be a mistake" Friedrich Nietzsche

Que Amor É Este

#17 Ecos (Indie/Manta & DBandada)

15 dias depois do início do mês, muitos quilómetros no carro (e nas pernas) um sorriso enorme e a alma cheia de musica boa. A musica faz-me sempre feliz e consegui neste inicio de Setembro ver/rever e descobrir varias bandas, houve Indie Music Fest, Festival Manta e D´Bandada e não houve Diabo na Cruz hoje porque  o Sº Pedro não quis (mas fica para o fim-do-mês).

1º fim de semana com o #IMF (que tem crescido imenso de ano para ano) houve vários grandes concertos, Toulouse, Cave Story, Keep Razors Sharp, Brass Wire (com uma cover incrível de Alt-J) e Thunder & Co estiveram ao nível que eu esperava, Linda Martini trouxeram uma enchente com eles e apesar de vários problemas de som (algo que acontece muitas vezes) levantaram o pó e deixaram toda a gente a querer mais, os incríveis Les Crazy Coconuts foram a banda que mais me surpreendeu pela positiva e os Modernos (Capitão que??)foram tremendos e deram um dos melhores concertos que já vi este ano! Pelo #Manta o Manel Cruz esteve ao seu nível e embalou a enchente que o foi ver aos jardins do CCVF, já se sabia que não ia haver nada de Ornatos na setlist, ficou a faltar coisas de Pluto mas houve Supernada e Foge Foge Bandido.

 

Este sábado foi dia de Nos Em D´Bandada pelo Porto, maior, com mais concertos e em mais lugares que nos outros anos é certo, mas cada vez com uma enchente maior. Vou com uma lista enorme (e impossível) de coisas para ver, mas como sempre fica pela metade. Há vários concertos onde se não fores cedo já não consegues entrar, lugares como o Era Uma Vez em Paris, o Rua, o Plano B ou o Maus Hábitos estiveram permanentemente cheios durante os concertos. Ainda assim com um plano mais ou menos bem traçado e dois amigos dispostos a caminhar bastante consegui ver a grande maioria dos concertos que tinha planeado.

Logo a chegada ao Porto, Jorge Palma (de fugida no eléctrico),ir ao Rua ver as Golden Slumbers, duas musicas (muito a custo) de Filho da Mãe (no Maus Hábitos), descer a estação de são bento para os enérgicos The Walks (Locomotiva), subir novamente para a Igreja S. Ildefonso para Benjamim, correr rua abaixo para ouvir um pedaço de The Black Mamba e sair a muito custo da Avenida dos Aliados (completamente lotada), e no meio de vários encontrões, suor e muita paciencia conseguir entrar no Plano B e ver os Modernos dar para mim o melhor concerto do #DBandada e afins, deviam mesmo lançar os eps em formato físico e dar mais concertos e isto para ontem!! Descansar ao som de Xinobi na praça dos leões, levar com nova enchente em Isaura (no Era Uma Vez Em Paris) e depois novamente no Rua com os Vaarwell e os Trêsporcento (uma das supresas do dia), e fechar a edição de 2015 a beber um copo ao som de Caos Fofinho no Rádio (um dos meus sitios preferidos no Porto) e gastar o pouco de energia de ainda havia no mítico Tendinha dos Clerigos. 

Ficaram a faltar da minha lista impossivel, Francis Dale, ver Black Mamba em condições, Miguel Araujo, B Fachada, Moullinex e Mirror People mas como sempre o #DBandada é feito de escolhas é não da mesmo para ver tudo.

Para o ano há mais! 

 

 

2 comentários

Comentar post